Menu fechado

Fontainebleau: um lugar cheio de história, a 70 km de Paris.

Olá, pessoal. Hoje vou falar sobre minha passagem, em jan/2014, por Fontainebleau, uma pequena cidade de 15 mil habitantes, a 70 km de Paris, na Île de France, onde há a floresta de mesmo nome e um dos castelos mais importantes da França, que foi casa real e imperial de François I a Napoleão III. Confira!

Antes do castelo ser construído e ampliado, há relatos de que no ano de 1137 o local já era citado em cartas, sendo utilizado pelo Rei Luis VII. As construções do castelo, de fato, as quais dariam aspectos iniciais às formas de como ele é hoje, começaram no século XVI, por François I, incluindo portas douradas, pátio oval entre outras construções. O palácio possui estilo Renascentista, tendo sido Leonardo Da Vinci, inclusive, convidado, para sua decoração, no século XVI.

Com galerias decoradas por pintores italianos, no palácio também houve grandes construções a pedido de Catarina de Médici e Henrique II

Curiosidade: você que já assistiu ao seriado Reign (disponível no Netflix), obviamente deve saber sobre Catarina de Médici e o Rei Henrique, seu marido. Pois é, eles viveram nesse castelo, com Francisco II (filho de Catarina e Henrique), sucessor rei da França, e sua esposa, Mary Stuart, rainha da Escócia. Assistir ao seriado, apesar da série não ter sido gravada em Fontainebleau, é viver parte dessa história, ainda que em tom mais adolescente. Recomendo, rs. Estão todas temporadas no Netflix (até a 5ª e última).

Seriado Reign: Rei Henrique II com essa roupa de manga branca, e Catarina de Médici, à direita, de cabelo claro.

Como disse acima, Catarina de Médici, Henrique II, Francisco II, assim como muitas outras casas reais permaneceram por anos no palácio, onde, após 3 séculos depois, entrou em decadência, com a Revolução Francesa, no século XIX.

Napoleão Bonaparte transformou o castelo em símbolo de sua grandeza, em alternativa ao Château de Versailles (Castelo de Versalhes). Antes de ir para o exílio, Bonaparte assinou sua abdicação, por meio do Tratado de Fontainebleau. Napoleão ajudou a fazer do palácio o local que os visitantes conhecem atualmente, tornando-se a Corte do Segundo Império francês, do seu sobrinho Napoleão III (para quem não sabia, existiram mais Napoleões na França, sendo o Bonaparte o mais famoso entre eles, junto com seu sobrinho, Napoleão III). Se ficou mais curioso sobre a história do castelo, confira aqui neste link (Wikipedia). Vale a pena dar uma lida!

Chegando a Fontainebleau

Vamos lá! Curiosidades à parte, cheguei a Fontainebleau pela autoroute A6 (autoestrada), vindo de Dijon (que falarei em outro post), mas é possível sair de Paris pela mesma estrada A6, distante a 70 km. Outras alternativas, como trem, para chegar até lá, deixarei no final do post.

Vale dizer que aluguei um carro pelo site da Avis e retirei na Gare de l’Est, se não me engano. Foi tudo bem rápido e tranquilo. Só com a CNH brasileira válida é possível fazer seu passeio em quase toda Europa. Acrescente também os pedágios no seu orçamento.

Infelizmente, quando cheguei, o castelo estava fechado para reformas e não foi possível fazer a visitação interna. O preço da tarifa para visitação e acesso ao museu é 10 euros e você pode conferir os valores atuais direto no site do museu, neste link.

Retirei algumas imagens da web para mostrar como é o interior do castelo, disponíveis em qualquer busca no Google. Vale dizer que muitos consideram esse palácio mais bonito que o de Versailles, perdendo apenas para o seu jardim, em beleza.

Como o lado de fora o acesso é livre, sem a necessidade da entrada ao museu, fiz algumas fotos, é claro. Acabei ficando apenas 1 dia no local, pois como era caminho de volta a Paris, não custou nada dar uma passadinha por ali.

Após um passeio pelos arredores do castelo, fui até o centro da cidade, para matar a fome e ver o que tinha. A cidade, como dito acima, possui uma população de 15 mil habitantes, mas com uma aglomeração de 34 mil, junto com Avon. Infelizmente, perdi quase todas minhas outras fotos 😭😭😭, que se foram com meu antigo computador. Essas que postei consegui resgatar das redes sociais. Na época, eu não fazia backup de nada (fundamental ter um Dropbox ou Onedrive nessas horas).

La Forêt de Fontainebleau

Além do passeio no castelo, dá para ir à floresta (Forêt de Fontainebleau), que é bem famosa. Lembro-me das aulas de francês, na Aliança Francesa aqui de Campo Grande, em que se falava muito das promenades (passeios) nessa floresta! Um dos motivos, inclusive, pelos quais fiquei curioso para vistar o lugar. A história do castelo, principalmente no tempo de Catarina de Médici (que era italiana, de Florença) e a casa Valois, só veio ao meu conhecimento tempos depois de eu ter visitado esse lindo lugar. Certamente, gostaria de voltar a Fontainebleau e olhar tudo sob outra perspectiva!

Dizem que no outono é a melhor época para visitar a floresta, pois as folhas secas dão um contraste bem bonito ao lugar.

 

Numa busca pelo Google, encontrei também um passeio de balão que dá para fazer por lá. Achei o preço bem salgado: R$ 1.200,00, incluso taça de champagne, lanche e o piloto (dá para ir sem o piloto?? 😂). Não posso dizer que não vale a pena, pois deve ser incrível, mas com esse valor dá para passar dias a mais na França, não é?! rs. Enfim, fica a dica.

Além dessas opções, há o museu Jean Cocteau (Maison Jean Coctaeu), que fica em Milly-la-Forêt, do ladinho de Fontainebleau, lugar em homenagem ao poeta, dramaturgo, ator, cineasta, romancista e designer francês (1889-1963), que teve em seu círculo de amizades pessoas ilústres, como Édith Piaf. Para informações sobre esse lugar, confira neste link.

Como disse acima, para chegar ao lugar, além da autoroute A6, que eu fiz, é possível pegar trem na Gare de Lyon, em Paris, com destino à Fontainebleau-Avon e, na estação, tomar o ônibus Linha 1, com direção a Les Lilas, e descer na estação Château. O trajeto dura cerca de 40 minutos. Dá para fazer um bate-volta, não é?

Para consultar preços e horários, acesse o site da SCNF.

Assista a este vídeo, de apenas 2 minutos, que encontrei no Youtube e veja imagens da floresta e um skyline da cidade, além do palácio. Incrível!

* As imagens sem a marca d’água foram retiradas da internet.

Voltar ao topo