Menu fechado

Morro do Ernesto e Serra de Maracaju: a 20 km de Campo Grande MS.

Salve, pessoal! Hoje vou compartilhar com vocês a subida ao Morro do Ernesto, que fica localizado a 20 km de Campo Grande MS, na fazenda Córrego Limpo. Para quem mora por aqui, ou para quem vem de fora, é um ótimo passeio para passar o dia, ou até mesmo acampar.

Bom, juntei família e amigos e ontem (5/março) fomos conhecer o lugar. Hoje mesmo me perguntaram informações sobre o passeio, e resolvi fazer a primeira postagem sobre esse destino. Destaco que há muitas informações que desconheço sobre o lugar, sendo este post apenas nossa experiência, em que fomos com a cara e a coragem. Chegamos chegando.

COMO CHEGAR

Passando o Detran, em sentido à MS-080, logo na primeira entrada à direita, havia placas de sinalização indicando o caminho para o morro. Após 6 quilômetros, entre estrada asfaltada + estrada de chão, chegamos na fazenda Córrego Limpo. Nesse trajeto, antes de chegar à fazenda, vale dizer que há o Inferninho, local muito conhecido em Campo Grande, para prática de rapel e escalada.

Seguindo até à fazenda Córrego Limpo, já na entrada, fizemoso pagamento ali mesmo, em dinheiro, que custou R$ 10,00 (aceitam cartão), sendo necessário assinar o nome numa lista de visitantes, que exige CPF ou RG. Um rapaz, muito receptivo e atencioso, nos disse que haverá um cadastro de visitantes e que em breve a entrada será identificada de forma eletrônica ou algo do tipo, sem a necessidade de preencher a lista para as próximas vezes.

DENTRO DA FAZENDA

Ao entrar na fazenda, vimos duas direções: para as cachoeiras e para o morro. Ao seguir de carro, por dentro da fazenda, deparamo-nos com uma paisagem incrível, coisa que eu nunca tinha visto por aqui tão perto em Campo grande.

Uma curiosidade: ressalto, ainda, que a Serra de Maracaju e a Serra de Caiapó cortam Mato Grosso do Sul de norte a sul, dividindo o Estado entre Bacia do Paraguai ao oeste e Bacia do Paraná ao leste. Por isso, bem nessa região centro-sul de MS, localiza-se a serra de Maracaju, onde a cidade de Campo Grande está situada a pouco mais de 500 metros acima do nível do mar. O maior pico da Serra de Maracaju fica nas proximidades do município de Aquidauana, a 140km de Campo Grande, com altitudes que chegam a 750 metros.

Divisão das bacias em MS

Serra de Maracaju nas proximidades de Aquidauana (Foto Google)

Entramos na fazenda, e seguimos a estrada, onde tinha uma bifurcação. Tomando à esquerda dá caminho para as cachoeiras, e à direita chegará ao morro. Não visitamos todas as cachoeiras, pois quando chegamos, por volta das 16h45, nosso tempo estava bem apertado e perderíamos o pôr do sol, às 18h03. Mas são cinco quedas d’águas e fica a dica para quem puder chegar mais cedo e desfrutar das cachoeiras.

QUANTO TEMPO LEVA

O ideal, para quem quer curtir o pôr do sol, indico chegar por volta das 15h na fazenda, para fazer a subida com calma e esperar anoitecer. A nossa subida, a pé, durou cerca de 45 minutos, e, dependendo do seu ritmo e preparo físico, pode variar para mais ou menos. É possível chegar de carro até o início da subida e deixá-lo estacionado por ali mesmo.

Para quem possui uma caminhonete, carro com tração nas rodas, 4×4 e afins, poderá facilmente fazer a subida de carro até o topo do morro. Mas com carro de passeio é praticamente impossível, a não ser que você tenha um Uno (juro, tinha um lá no topo do morro). Para quem não faz ideia, o Uno é um carro leve e muito bom para esse tipo de aventura (é só uma observação, pois não me responsabilizo se você fundir o motor do seu carro na subida! kk).Tentamos subir com o nosso, e não foi nem na primeira subida.

Deixado o carro de lado, fomos na certeza de que seria uma dureza. Não vou dizer que é muito difícil a subida, pois fomos pela estrada onde os carros passam (fiquei sabendo que há a opção de subida pela encosta, que é mais inclinada ainda! #oremos).

No entanto, ainda pela estrada, não é nada fácil, pois há trechos bem íngremes, e para quem não está preparado fisicamente, ou é sedentário, vai ter um pouco de dificuldade, por isso é bom estipular um tempo de 1 hora, para subir com calma, parando, respirando, tomando uma água e aliviando a respiração. Leve água e se preferir, ainda, uma toalha de rosto, pois sua pra caramba! rs (não é frescura não haha mas a coisa é hard!).

Dramas à parte, sem querer aterrorizar, digo que valeu muito a pena! Foi uma caminhada com paisagens que vão ficando cada vez mais incríveis, que, conforme subimos, foi possível avistar a bela fazenda ao redor, a natureza e a vegetação, e o principal: a vista do horizonte. Valeu cada esforço e cada respirada. Já quero até ir de novo em breve.

Ao final da estrada, chegamos ao topo do Morro do Ernesto, a 250 metros de altitude, com uma bela vista para uma parte da Serra de Maracaju e um horizonte incrível de tirar o fôlego. Levamos umas toalhas para sentar, umas frutas para recuperar as energias e ficamos admirando muito o lugar, e, é claro, tiramos muitas fotos.

HORA DE VOLTAR

Após o pôr do sol e depois de muitas fotos, foi hora de  descer. A volta sempre é mais rápida que a ida (é bruxaria!), e eu indico levarem uma lanterna, pois é um breu e uma escuridão que não dá para enxergar nada! Estávamos sem lanterna e tivemos de usar o celular, tropeçando entre as pedras das trilhas, com direito a tombos, rsrs. É importante tomar cuidado também com o caminho à noite, pois pode aparecer algum bicho, inseto, cobra, ou sei lá o que — deve ser à noite que eles saem “para passear” rs. Encontramos até uma aranha caranguejeira no caminho, que logo correu para o mato adentro.

Imprescindível ter uma lanterna!

Sem mais delongas, foi um passeio de que gostamos muito, e toda essa vista incrível bem pertinho de casa, com uma experiência muito gostosa, que renova as energias e a alma. A natureza e o nosso Estado são realmente incríveis, com suas peculiaridades.

O local, ainda, é cenário perfeito para quem gosta de saltar de parapente e também fazer o percurso de bicicleta, desde o começo lá da fazenda (a paisagem do campo é linda!). Vi algumas pessoas com seus equipamentos de segurança montados em bicicleta, em grupos e sozinhas. Deve ser bem bacana, não é?

Há também a opção de fazer o passeio guiado, com guias especializados, com seguro, café da tarde de pique nique, e o salto de parapente, o qual quero fazer ainda! Deve ser incrível! (é bom dar uma olhada na página do morro no Facebook, ou no site oficial, onde tem todas as informações e preços atualizados).

Para quem quer fazer camping, a fazenda, em parceria com uma empresa especializada, também oferece uma programação. Vale lembrar que não é permitido levar barraca por conta própria e ficar acampado lá em cima, e nem levar churrasqueiras e coisas desse tipo, ficando sujeito à multa.  E, é claro, todo mundo sabe, mas nunca é demais dizer: leve seu lixo embora com você e respeite a natureza!

Abaixo deixo um resumo do que você pode precisar, se for sozinho ou com um grupo de amigos, a depender de cada um, mas que acho válido dar a ideia para que seu passeio fique mais confortável e seguro.

O QUE VOCÊ PRECISA SABER E/OU LEVAR
  • Entrada da fazenda: R$ 10,00
  • Documentos pessoais
  • Conferir a previsão do tempo antes de planejar seu passeio.
  • Celular carregado, em modo avião, com o mapa baixado de forma offline, para que possa se localizar melhor na estrada, e para tirar suas fotos!
  • /Mochila ou similar, para levar água, frutas, ou algum lanche que preferir, para recuperar as energias ao chegar no topo.
  • Uma toalha, canga, manta, forro, para sentar no gramado. (dependendo, pode estar molhado em um período chuvoso, ou com terra. Não é frescura, é apenas uma dica caso queira ficar mais sossegado e até deitar no gramado, de boa).
  • Lanterna, caso volte após o pôr do sol, pois a trilha fica totalmente escura.
  • Roupas leves e um tênis para caminhar.
  • Repelente

Horário de funcionamento:
Segunda a sexta: com agendamento de visitas (67 99916-1700 What’s App)
Final de semana e feriados: 6h às 19h

Espero que essas informações possam ajudar um pouco a planejar seu passeio. Caso tenha outras experiências do lugar ou alguma dica, deixe seu comentário. Abraços!

Voltar ao topo