Pular para o conteúdo

Minha Viagem

LOGO_AZUL-sem fundo
Início » Conheça o Louvre: O maior Museu do Mundo

Conheça o Louvre: O maior Museu do Mundo

Conheça o Louvre: O maior Museu do Mundo

Conheça o Louvre: O maior Museu do Mundo,

Antes de mais nada, vale ressaltar que o Louvre é um dos mais importantes museus de todo mundo e um dos mais antigos. É um dos grandes pontos de visitação de turistas de todo o mundo que vão a Paris. Todavia, essa maravilha foi erguida no século XII, mas só ganhou essa nomenclatura a partir do século XVIII.

Contudo, O museu tem uma amplo conjunto de obras de arte, sendo a maior parte delas de partilha internacional. Contudo, algumas das obras mais famosas do museu são a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, a Vênus de Milo, e o Afrodite de Milos, a Diana de Versalhes, juntamente com a Coroação de Napoleão.

Todos os visitantes têm acesso gratuito ao Louvre todos os dias, mas são necessários ingressos para visitar as salas e galerias com obras de arte. O Louvre está aberto diariamente às 18h no verão (junho a setembro) e às 17h no inverno (outubro a maio).

A localização do museu é excelente, pois fica na margem esquerda do Sena, no centro de Paris. Se você estiver em Paris, não perca o Louvre!

A Inauguração do Louvre O maior Museu do Mundo

Em 10 de agosto de 1793, quatro anos após a queda da Bastilha, o Museu do Louvre foi inaugurado em Paris. Outrora residência oficial da monarquia, mas, o magnífico palácio foi ocupado e nacionalizado por revolucionários que o transformaram num símbolo da república criando um museu aberto ao público. Desde então, também se tornou um símbolo do poder e dos ideais franceses e ocidentais.

Todavia, por mais de dois séculos, o Louvre manteve sua importância e hoje é o museu mais famoso e visitado do mundo.

Também é onde estão algumas das principais obras de arte do Ocidente, entre elas Mona Lisa e Vênus de Milo. 

Contudo, de todas as obras a principal é Mona Lisa, obra-prima de Leonardo da Vinci, que atrai 20 mil visitantes por dia. Mas, a obra mais antiga em exposição no Louvre tem 9 mil anos de idade, uma estátua do sítio arqueológico de Aïn Ghazal, na Jordânia.

2. Louvre e a revolução

Primeiramente, lembre-se que o Museu do Louvre é o museu mais famoso e visitado do mundo. Mas, no ano de 2019, antes da pandemia, recebeu 9,6 milhões de visitantes, ou 40 visitantes por minuto. Em sua área de 6 hectares, estão expostas 38.000 obras de arte – de um total de 615.000 obras de arte.

A principal delas é a obra-prima de Leonardo da Vinci, a Mona Lisa, que atrai 20.000 visitantes por dia. A obra mais antiga do Louvre tem 9.000 anos: uma estátua do sítio arqueológico de Ain Ghazal, na Jordânia.

O Louvre foi construído como uma fortaleza no século XII. No século 16 tornou-se a residência real. Até a chegada da Revolução Francesa em 1789, que acabou com a monarquia e expulsou os nobres de seus castelos. Em todo o país, palácios e igrejas foram saqueados e nacionalizados – incluindo o Louvre, que já abrigou obras de arte importantes. Em seguida, abriu como um museu público em 1793. 

3. Casamento do Imperador

Napoleão Bonaparte, ansioso por conquistar e mostrar suas façanhas, transformou o Louvre em um de seus principais veículos de propaganda. Os salões do palácio são decorados com espólios de suas conquistas militares, como as coleções papais no Vaticano e achados arqueológicos no Egito.

O imperador valorizava tanto o museu que decidiu renomeá-lo como Museu Napoleônico e o escolheu para seu segundo casamento com Maria Luísa da Áustria em 1810.

Desde a sua abertura, o Louvre tem sido um símbolo do poder e dos ideais franceses. Até ser ameaçado de invasão pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Ainda no início do conflito, antes mesmo de ser ocupado em junho de 1940, a direção do museu decidiu retirar e esconder suas obras mais importantes.

Algumas das principais, como a Mona Lisa, foram transferidas para Chambord e esculturas, como a Vênus Milo, foram transferidas para o Château de Valence, ao sul de Paris.

Por causa de seu tamanho e importância, os curadores de arte do Louvre exercem um enorme poder para definir o que é e o que não é arte. Os cursos são narrados há muito tempo na ordem cronológica dos pilares da arte ocidental: arte egípcia, grega, romana, italiana renascentista e francesa. Coisas que não pertencem a esse segmento, como arte das colônias francesas na África, não ganham espaço nos corredores.

Essa mentalidade, que fazia sentido no passado, passou a ser polêmica e até mesmo questionada na década de 1980. Nos anos 2000, quando foi inaugurado o Pavillon des Sessions, a Galeria do Louvre reunia pessoas da África, Oceania, Ásia e das Américas – ainda que distante da exposição principal.

Leia mais em “MINHA VIAGENS CURIOSIDADES”
Aprenda também em “MINHA VIAGEM RECEITAS”
Leia também em “MINHA VIAGEM DICAS DE MORADIA”
Conheça Também em Nosso Site:

Todo dia em nosso site, você encontrará novidades e outras dicas de cidades, coloque o nome da cidade de sua preferência na pesquisa no site e saiba mais, caso você não encontre a cidade deixe nos comentários apenas o seu nome e o nome da cidade que procura. Compartilhe nosso site com seus amigos e contatos.

NOTA DE ENCERRAMENTO

Portanto, nós do Minha viagem estamos diariamente trabalhando para trazer o melhor conteúdo para vocês leitores, nosso site trabalha com muito conteúdo de viagens trazendo muitas dicas para você que é amante de viagem.

E agora trazemos uma grande novidade para você que ama viajar.

Uma nova Rede Social somente para nós que amamos viajar.

ACESSE AGORA MESMO INTEIRAMENTE GRÁTIS:   bomvoyage.net

Divulgue seus passeios ou seus negócios de viagens inteiramente grátis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.